• Alessandra Kuskoski Szupka

Tratamento ortodôntico: o caminho para conquistar um sorriso bonito e saudável.

No post anterior falamos sobre como identificar possíveis problemas de má-oclusão e qual a hora de procurar um profissional para fazer uma avaliação para a necessidade de realizar um tratamento ortodôntico.



Mas o que é um tratamento ortodôntico? Existe somente um tipo?


Bom, para começar quero lembrar que nunca é tarde para conquistar um sorriso saudável e esteticamente bonito. Independente da sua idade esse desejo pode ser alcançado.


Mas antes, precisamos entender que o tratamento ortodôntico vai muito além da utilização de um aparelho. Além de habilidades para a execução, é necessário que o profissional de odontologia faça um estudo minucioso do caso, levando em consideração seus conhecimentos em anatomia, de estética, das técnicas adequadas, das melhores práticas e sua experiência clínica, para desenvolver um bom planejamento que trará o resultado esperado no menor tempo possível. Por isso, é importante procurar um ortodontista de confiança, para que o tratamento seja feito de forma segura e eficiente.


O tratamento ortodôntico pode ser iniciado na infância de forma preventiva ou interceptativa, ou na idade adulta com tratamento corretivo.



O que é a ortodontia preventiva, interceptativa e corretiva?


A ortodontia preventiva, trabalha buscando evitar a instalação de problemas de oclusão ou de mal posicionamento dentário já no período de troca de dentição da criança (entre os 3 e 12 anos), buscando diminuir as chances de que o paciente precise usar aparelho fixo no futuro ou que passe por um procedimento traumático para extração de um dente, ou cirurgia ortognática por exemplo.


Já a ortodontia interceptativa é indicada para crianças com diagnóstico de problemas ortodônticos em fase inicial no período de troca de dentição (quando os dentes de leite estão caindo), como mordidas cruzadas ou falta de espaço para o dente permanente, por exemplo. Evitando assim, a necessidade de passar por um tratamento mais complexo no futuro. Caso o tratamento comece após a adolescência, o recurso indicado é a ortodontia corretiva.


A ortodontia corretiva, é a mais comum de todas, indicada quando há necessidade de corrigir problemas de oclusão e posicionamento dos dentes permanentes já instalados.

O objetivo desses três tipos de tratamento é o mesmo: corrigir a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada, inclusive àquele dente nascendo um por cima do outro. Para conhecer os tipos mais comuns de má-oclusão, clique aqui.





O tratamento ortodôntico vai além de colocar seus dentes na posição ideal, mas também devolve a função correta da mastigação, deglutição e da fala, além de diminuir qualquer disfunção na articulação temporomandibular (a famosa ATM que causa dores de cabeça, nos dentes e até mesmo o desgaste da cartilagem da mandíbula).


Um sorriso funcional e esteticamente bonito, na prática, entrega ao paciente mais autoconfiança, amor-próprio, saúde e bem-estar. Evitando problemas de saúde e proporcionando mais qualidade de vida.

Portanto, para que os resultados desejados sejam alcançados, independentemente do tipo ortodontia indicada, é muito provável que seja necessário fazer uso dos conhecidos aparelhos ortodônticos que eliminam o velho sorriso, contribuindo na estética e harmonia de um novo sorriso.


E existem tantos tipos de aparelhos ortodônticos, não é?


Mas este é o assunto para o próximo post.


Até lá!


Alessandra Kuskoski Szupka

Especialista em Ortodontia

CRO-PR 21.270

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo